Naked cake de noz, alfarroba e tonka com ovos moles e mascarpone


O mês de Dezembro é sempre especial  pois celebro o meu aniversário um pouco antes do Natal. Por isso decidi fazer um bolo a condizer com esta quadra. Escolhi estes sabores para aproveitar alguns ingredientes que tinha de sobra e fiquei maravilhada com o resultado final. O bolo é de noz, com um toque suave de alfarroba e tonka, que lhe confere notas de caramelo, recheado com vos moles e coberto com creme de mascarpone de baunilha. Os sabores combinaram na perfeiçãoconferindo-lhe um sabor único e estava maravilhoso e foi muito elogiado. 
Para obter o máximo de suavidade e sabor, o bolo deverá ser retirado do frigorífico cerca de 3 a 4 horas antes de servir, para estar completamente à temperatura ambiente. 
A taça, o bule e a chocolateira em esmalte vermelho são da  Real Fábrica.




NAKED CAKE DE NOZ, ALFARROBA E TONKA COM OVOS MOLES  E MASCARPONE

(Para 15 a 18 fatias)

BOLO
6 ovos
250g de açúcar
250g de farinha
25g de farinha de alfarroba
100g de noz moída
170g de manteiga c/ sal, derretida
1 colher (café) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de fermento p/ bolos
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
Raspas de fava tonka* (opcional)

OVOS MOLES
1 emb. de Ovos Moles de Aveiro (usei da Fabridoce)
Ou receita aqui

CREME DE MASCARPONE
400g de mascarpone
50ml de natas bem frias
200g de açúcar em pó
1 colher (chá) de extrato (ou pasta) de baunilha

GLACÉ DE NATA
2 a 3 colher (sopa) de açúcar em pó
1 a 2 colher (sopa) de natas

DECORAÇÃO
Coco ralado
Groselhas
Raffaellos


*Podem comprar fava tonka online, na Algarve Spice


BOLO

Untar 2 formas de Ø16cm e e uma de Ø14cm e forrá-las com papel vegetal.
(Em alternativa poderá usar 3 formas de Ø16 ou 2 de Ø18).

Tradicional
Numa taça misturar bem as farinhas peneiradas, a noz moída, o fermento, o bicarbonato de sódio, o sal.
Bater os ovos com o açúcar, a baunilha e as raspas de tonka durante 10 minutos, até obter um creme esbranquiçado e volumoso.
Juntar a manteiga derretida.
Envolver aos poucos a mistura de farinha e misturar delicadamente até ficar homogéneo.

Thermomix – Bimby
Colocar no copo as farinhas, a noz moída, o fermento, o bicarbonato de sódio, o sal e misturar uns segundos na vel.9. Retirar e reservar.
Pulverizar o açúcar com as raspas de tonka na vel. 9.
Posicionar a borboleta no copo. Juntar os ovos, a baunilha e programar 12min/37º/vel.3 e 1/2.
Juntar manteiga derretida e misturar 10 seg/ Vel. 3.
Juntar a farinha e envolver 15 seg/ Vel.3.
Se necessário misturar com a espátula até ficar homogéneo.

Dividir a massa pelas 3 formas, enchendo um pouco mais a de 14cm.
Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 25 a 30min. ou até o palito sair seco.
Desenformar e deixar arrefecer completamente numa grelha.

CREME DE MASCARPONE

Tradicional
Bater o mascarpone com a baunilha até ficar bem cremoso.
Incorporar as natas e bater até ficar firme.
Juntar o açúcar em pó e bater uns minutos até obter um creme fofo e firme.

Thermomix-Bimby
Colocar a borboleta no copo.
Bater o mascarpone com a baunilha e as natas bem frias durante 2min./vel.3.
Juntar o açúcar em pó e programar mais 2min./vel.3, até ficar firme.

GLACÉ

Colocar o açúcar em pó numa taça e juntar pouco a pouco natas, misturando bem até obter um creme espesso que escorra em fio.

MONTAGEM

Optei por montar o bolo grande e o pequeno em separado, cada um na sua base.
Cortar os topos de cada bolo para alisar, caso necessário.
Cortar cada bolo maior em 2 partes e o bolo mais pequeno em 3 partes iguais.
Colocar uma metade do bolo maior no prato de serviço.
Com um saco pasteleiro, fazer uma auréola de creme de mascarpone à volta de toda a extremidade.
No centro espalhar uma camada generosa de ovos moles e alisar bem.
Colocar outra camada de bolo, endireitar e repetir a operação até à última camada.
Espalhar creme nas laterais e no topo de cada bolo e alisar com uma espátula.
Levar os bolos ao frigorífico cerca de 1/2 hora para solidificar bem.
Espalhar mais creme em cada bolo e alisar até ficar perfeito.
Levar os 2 bolos, separados, ao frigorífico durante 2 horas para solidificar.
Posicionar o bolo pequeno no centro do maior.
Espalhar delicadamente o glacé e decorar a gosto.
Levar ao frigorífico durante uma noite.
Deixar à temperatura ambiente cerca de 3h antes de servir.




Waffles de alfarroba com gelado de ovos moles {Gelados de Portugal}




Para acabar em grande, trago a terceira e última receita com os Gelados de Portugal.
Waffle e gelado fazem sempre uma boa dupla, ainda mais com sabores tradicionais, por isso pensei em juntar 2 sabores que combinam na perfeição, alfarroba e ovos moles. Os waffles ficam macios com notas de chocolate, caramelo e baunilha e o gelado é uma perdição como já vos tinha dito no último post. É uma sugestão deliciosa quer para o pequeno-almoço de domingo, lanche ou mesmo como sobremesa.
Neste fim-de-semana se passarem pelo Continente de Aveiro, do CoimbraShopping, do Colombo, do GaiaShopping, do Vasco da Gama ou pelo Bom dia Aveiro Estação, na compra de um gelado de Ovos Moles ou de Requeijão e doce de Abóbora, levam uma das 3 últimas receitas que fiz com os Gelados de Portugal.
Agora deliciem-se e não se esqueçam de provar este gelado!





WAFFLES DE ALFARROBA COM GELADO DE OVOS MOLES

Para 8 waffles:

75ml de natas, à temperatura ambiente
1 ovo
1 c. (sob) de pasta ou extrato de baunilha
10g de fermento padeiro
220g de farinha
25g de farinha de alfarroba
1 c. (sopa) de chocolate em pó
1/2 c. (café) de sal
70g de manteiga c/ sal, amolecida
90g de de açúcar em pó

Gelado de ovos moles, Gelados de Portugal
Mel p/ servir (opcional)



Misturar as farinhas, o sal e o chocolate em pó.
Bater as natas com o açúcar, o fermento, o ovo e a baunilha.
Espalhar a farinha gradualmente por cima e bater até a massa ficar homogénea.
Por fim juntar a manteiga e bater novamente até ficar bem integrada.
Tapar a massa com um pano e deixar repousar 1h.
Passado esse tempo, retirar a massa para a bancada polvilhada com farinha.
Com as mãos enfarinhadas, dividir a massa em 7 a 8 bolinhas e colocar num tabuleiro à temperatura ambiente cerca de 20 minutos.
Ligar a máquina de waffles.
Quando estiver quente colocar uma bolinha no centro de cada compartimento.
Fechar a tampa e deixar uns 2 a 4 minutos.
Quando estiverem firmes ao toque, transferir para uma grelha com uma espátula.
Repetir a operação até acabar a massa.
Servir morno com uma bola de gelado de ovos moles.




Pavlovas com ovos moles {Gelados de Portugal}


Como referi no último post, hoje trago a segunda receita que desenvolvi para a Gelados de Portugal.
Se gostam de ovos moles e pavlova tanto como eu, de certeza que irão amar esta sobremesa. Este gelado com Ovos Moles de Aveiro é sublime, diferente de todos os que já provei e extremamente cremoso como podem ver nas fotos. Pensei numas pavlovas individuais porque podem preparar-se os suspiros uns dias antes e conservá-los numa caixa hermética. Depois num jantar especial ou mesmo no Natal, é só montar as pavlovas e servir. 
O resultado é uma mistura de sensações, crocante por fora que derrete na boca, mole e húmido por dentro, conjugando com as diversas texturas do recheio, é de suspirar...








PAVLOVAS COM OVOS MOLES

Para 4 a 8 pavlovas

Merengue

4 claras de ovo
200g de açúcar fino
1 c. (chá) de vinagre
2 c. (chá) de Maizena (amido de milho)
1 c. (sob.) de pasta de baunilha (ou extracto)

Cobertura
 Gelado de ovos moles da Gelados de Portugal
125g de creme de ovos moles da Fabridoce
100g de fios de ovos da Fabridoce



MERENGUE

Misturar a maizena com um pouco de açúcar e reservar.
Bater as claras e quando começar a formar picos suaves nas varas, juntar o açúcar aos poucos e bater uns minutos até ficarem bem firmes, brilhantes e sem vestígios de açúcar.
Juntar a pasta ou extracto de baunilha, o vinagre e bater até ficarem integrados.
Por fim envolver a maizena peneirada delicadamente.
Ligar o forno a 150ºC.
Entretanto formar montinhos de merengue em círculo sobre o papel vegetal, espaçados. Com uma colher formar uma covinha no meio.
Levar ao forno durante 1 hora a 90º ou até ficarem firmes ao toque.
Deixar arrefecer completamente no forno com a porta entreaberta.

MONTAGEM

Colocar um suspiro num prato e cobrir com creme de ovos.
Posicionar outro suspiro por cima, deitar uma colher de creme de ovos no centro e dispor fios de ovos à volta. Por fim colocar uma bola de gelado no topo e servir.




Tarteletes de noz pecã com gelado de requeijão e doce de abóbora {Gelados de Portugal}




Já provaram os Gelados de Portugal?
No mês passado recebi um convite da Fabridoce, produtora de doçaria conventual, dos Ovos Moles de Aveiro e mais recentemente dos Gelados de Portugal, para desenvolver três receitas que acompanharão as embalagens dos gelados durante a campanha com a Sonae-Continente que irá decorrer no próximo fim de semana, em alguns pontos do país. 
Os gelados são artesanais, de excelente qualidade com sabores tradicionais e maravilhosos. Imaginem um gelado de pastel de nata, de ovos moles, de leite creme, de bolacha maria ou ainda de chocolate com suspiros...
Hoje trago-vos a primeira receita com gelado de requeijão e doce de abóbora. Pensei numa tarte de noz pecã porque adoro a combinação de doce de abóbora com noz. O gelado só por si já é surpreendente, com um sabor único, ainda não tinha provado e fiquei completamente rendida. A tarte é simples e maravilhosa, um creme denso com sabor a noz caramelizada. A bola de gelado é a cereja no topo. 
Fiquem atentos porque durante a próxima semana irei publicar as outras duas receitas imperdíveis.
Para quem estiver interessado, a promoção irá decorrer durante os próximos dias 11, 12 e 13, nas lojas Continente de Aveiro, CoimbraShopping, Colombo, GaiaShopping, Vasco da Gama e na loja Bom Dia Aveiro Estação.





TARTELETES DE NOZ PECÃ COM GELADO DE REQUEIJÃO E DOCE DE ABÓBORA {GELADOS DE PORTUGAL}

Para 6 tarteletes de Ø12 ou 1 tarte de Ø24

MASSA AREADA

200g de farinha
100g de açúcar em pó
1 pitada de sal
1 ovo
100g de manteiga c/ sal, bem fria
1/2 c. (sob.) de pasta de baunilha (ou extracto)
Água fria q.b.


RECHEIO

3 ovos
90g de açúcar
4 c. (sopa) de Golden Syrup (ou mel)
40g de manteiga c/ sal, derretida
40ml de natas
1/2 c. (sob) de pasta de baunilha (ou extrato)
150g de noz pecã

Gelado de requeijão e doce de abóbora Gelados de Portugal, para servir



MASSA AREADA

Num recipiente, misturar a farinha, o açúcar e o sal.
Juntar a manteiga aos bocados, o ovo e a baunilha.
Trabalhar a massa com as mãos (ou colocar tudo no robot e misturar) juntando pouco a pouco água gelada, o suficiente até conseguir moldar uma bola.
Envolver em película aderente e reservar no frigorífico durante 30 minutos.


RECHEIO

Untar ligeiramente as tarteiras com manteiga.
Estender a massa, forrar as tarteiras e reservar no frigorífico.
Ligar o forno a 180ºC.
Bater os ovos com o açúcar.
Juntar os restantes ingredientes e misturar até ficar homogéneo.
Distribuir o preparado pelas tarteiras e por cima as nozes pecãs.
Levar ao forno, a 180ºC durante cerca de 20 minutos, até ficarem firmes e douradas.
Servir com cada tartelete com uma bola de gelado de requeijão e doce de abóbora, da Gelados de Portugal.



Pão de leite leopardo


Como prometido hoje trago a receita do pão de leite com padrão leopardo. Não se acanhem que depois de verem as imagens do passo a passo mais abaixo, é mais fácil do que parece. Neste caso, ao contrário das bolachas, há o tempo de levedação. Optei por fazer a massa na véspera e deixar repousar durante a noite no frigorífico, assim parece menos longo. Como já tinha feito as bolachas, a experiência correu melhor e fiquei rendida quando cortei a primeira fatia. Gostei muito da textura do pão, de sabor é pouco doce, com um aroma suave de baunilha e cacau. Pode ser servido simples mas fica maravilhoso barrado com Nutella (para os mais gulosos, como eu).



PÃO DE LEITE LEOPARDO
Adaptado do blog  Alter Gusto

(Para uma forma de 22x11)

25g de amido de milho (Maizena)
250ml de leite
50g de manteiga c/ sal
70g de açúcar
1 colher (chá) de pasta de baunilha (ou extrato)
1/2 colher (café) de sal
1/2 saqueta de fermento padeiro (3,5g)
375g de farinha

Para a massa castanha mais escura:
15g de cacau + 1 colher (sopa) de leite

Para a massa castanha mais clara:
5g de cacau + 1 colher (chá) de leite



Numa panela, misturar o leite, a baunilha, o sal e o amido de milho com uma vara de arames. Levar ao lume até começar a engrossar. Retirar de imediato, juntar a manteiga e mexer até ficar homogéneo. Transferir para uma taça e deixar arrefecer 30min. Passado esse tempo, juntar a farinha o açúcar e o fermento. Misturar bem com as mãos até obter uma massa macia e elástica. (Se preferir pode amassar uns minutos no robot de cozinha, até conseguir formar uma bola).

Podem ver aqui o passo a passo, será bem mais fácil :)

Dividir a massa em 2 partes.
Reservar uma delas (será a massa branca) e tapar com um pano.
Dividir a outra em 2 partes.
Numa delas, juntar 15g de cacau misturado com 1 colher de sopa de leite, e amassar manualmente ou no robot até ficar com cor homogénea.
Na outra, juntar 5g de cacau misturado com 1 colher de chá de leite, e amassar manualmente ou no robot até ficar com cor homogénea.

Obterá uma massa castanha mais escura, uma castanha mais clara e uma branca maior. Formar uma bola de cada cor.
Deixar levedar 1h30 à temperatura ambiente, tapadas com um pano ou reservar em caixas herméticas 12h no frigorífico.

No dia seguinte ou 1h30 mais tarde:
Dividir cada bola em 2 partes. Depois uma das metades em 3 bolinhas e a outra em 4 bolinhas.
Obterá 7 bolas de cada cor, ou seja 21 bolas.
Formar 1 chouriço com uma bola de massa castanha clara, com 21cm (comprimento da forma), espalmar e enrolá-la sobre ela mesma.
Formar 1 chouriço de massa escura no mesmo comprimento e estender ligeiramente, não muito largo.
Enrolar a massa escura por cima do chouriço castanho claro (não precisa cobrir tudo).
Forma um chouriço com a massa branca ligeiramente mais comprido e estender na largura suficiente para cobrir o chouriço castanho.
Repetir a operação até ao fim.
Rolar cada chouriço até este atingir cerca de 42cm, ou seja o dobro do comprimentos da forma.
Cortá-los ao meio e dispo-los na forma, previamente untada ou forrada com papel vegetal, alternando as pontas.
Cobrir com um pano e  deixar levedar cerca de 1 a 2h até duplicar de volume.
Aquecer o forno a 170ºC. Pincelar o pão com leite.

Levar ao forno cerca de 40 minutos. Testar com um palito.
Retirar e deixar arrefecer numa grelha.




Bolachas leopardo


Confesso que sou fã do padrão leopardo e quando vi umas bolachas com este padrão no Pinterest não descansei enquanto não as fiz. Pode parecer difícil mas não é, eu diria que quem gosta de brincar com massa ou plasticina vai se divertir ao fazer esta receita. Mais abaixo têm um link onde podem ver um passo a passo, o que ajuda imenso. No início pensei que não ia correr bem mas quando cortei a primeira fatia não imaginam a alegria que foi :) Foi tanta que já fiz outra receita com este padrão que irei publicar ainda esta semana.
As bolachas são de amêndoa, baunilha e cacau, ficaram deliciosas e fizeram muito sucesso na escolinha do meu filho.
Pronto e agora desafio-vos a experimentar aí em casa!





BOLACHAS LEOPARDO
Receita adaptada daqui

250g de farinha 
125g de açúcar em pó 
125g de manteiga c/ sal 
1 colher (chá) de pasta de baunilha (ou extrato) 
1/2 colher (café) de sal 
1 ovo 
20g de amêndoa moída 
1 colher (café) de cacau em pó 
1 colher (sopa) de cacau em pó 
Água fria q.b. 


THERMOMIX - BIMBY 

Pulverizar o açúcar. Adicionar a farinha, o sal, o ovo, a manteiga e a pasta de baunilha e misturar uns segundos na Vel. 3. Quando conseguir formar uma bola está pronta (caso necessário juntar umas gotas de água fria pelo bocal. 

TRADICIONAL 

Colocar a farinha peneirada numa taça, o açúcar em pó, o sal, a baunilha e no meio colocar a manteiga amolecida e o ovo. Misturar e amassar com as pontas dos dedos até conseguir formar uma bola. Se necessário acrescentar uma gotas de água fria. 

Podem ver aqui o passo a passo, será bem mais fácil :) 

Dividir a massa em 3 partes.
Numa delas juntar a amêndoa moída e amassar manualmente ou no robot até ficar homogénea.
Na outra, juntar uma colher (café) de cacau e amassar manualmente ou no robot até ficar homogénea.
Por fim na parte restante, juntar uma colher (sopa) de cacau e e amassar manualmente ou no robot até ficar homogénea.
Irá obter uma massa castanha mais escura, uma castanha mais clara e uma branca.
Dividir a massa branca em 6 partes iguais (aproximadamente) e formar 6 bolinhas.
Dividir a massa castanha clara em 7 partes, 6 iguais e 1 um pouco maior. Formar 7 bolinhas e reservar a maior para o final..
Dividir a massa castanha escura em 6 partes iguais (aproximadamente) e formar 6 bolinhas.
Formar 1 chouriço com uma bola de massa castanha clara, com 18 a 20cm (aproximadamente).
Formar 1 chouriço de massa escura no mesmo comprimento e estender ligeiramente, não muito largo.
Enrolar a massa escura por cima do chouriço castanho claro (não precisar cobrir tudo).
Forma um chouriço com a massa branca ligeiramente mais comprido e estender na largura suficiente para cobrir o chouriço castanho.
Repetir a operação até obter 6 chouriços, irá sobrar uma bolinha castanha clara que fica para o final.
Juntar os chouriços todos, rolar um pouco na bancada para arredondar.
Estender a bolinha que sobrou o mais largo que conseguir (com o mesmo comprimento) e enrolar à volta do chouriço maior (se não cobrir tudo não faz mal pois o padrão não é perfeito).
Envolver o chouriço em papel vegetal e colocar no congelador uns minutos até ficar bem rijo (mas não congelado).
Ligar o forno a 180ºC.
Forrar um tabuleiro grande com papel vegetal.
Cortar fatias de chouriço não muito finas e dispor no tabuleiro.
Levar ao forno cerca de 15 a 20 minutos.
Retirar e deixar arrefecer numa grelha.





Bolo bundt de alfarroba



Nem acredito que estamos quase em Dezembro. Por cá o frio já se faz sentir, felizmente com dias de muito sol. Já a pensar na época Natalícia pensei neste bundt de alfarroba com especiarias. Um  bolo extremamente rico, fofo, húmido com notas de caramelo, chocolate, baunilha, canela e um travo subtil a amêndoa, uma autêntica delícia. A combinação das especiarias faz toda a diferença. Depois é só usar uma forma linda, polvilhá-lo com açúcar em pó e decorá-lo com verduras da época para ser o centro das atenções da mesa de Natal.





Bolo bundt de alfarroba

  • 320g de farinha
  • 60g de farinha de alfarroba
  • 30g de amêndoa moída (opcional)
  • 3 ovos
  • 250g de açúcar
  • 200g de manteiga c/ sal, derretida
  • 250g de creme fraiche (ou natas)
  • 1 colher (sopa) de chocolate em pó
  • 1 colher. (chá) de canela em pó
  • 1 colher (café) de sal fino
  • 1 colher (chá) de pasta de baunilha (ou essência)
  • 1 colher (chá) de fermento em pó
  • 1/2 coher (chá) de bicarbonato de sódio
  • Açúcar em pó p/ polvilhar


BOLO

Untar uma forma grande (2L) com manteiga e polvilhar com farinha (usei spray).
Derreter a manteiga e deixar arrefecer.
Peneirar a farinha com a amêmdoa moída, o fermento, o bicarbonato de sódio e reservar (na Bimby, basta pulverizar uns segundos).


Tradicional

Bater os ovos com o açúcar, o sal e a baunilha durante 10 minutos, até obter um creme esbranquiçado e volumoso.
Juntar a farinha de alfarroba, o chocolate em pó, a canela, a crème fraiche e bater até ficar integrado.
Por fim juntar a farinha e envolver delicadamente.

Thermomix – Bimby

Pulverizar o açúcar na vel. máxima.
Posicionar a borboleta no copo e adicionar os ovos, a baunilha, o sal e programar 7min/37º/vel.3 e 1/2.
Juntar a farinha de alfarroba, o chocolate em pó, a canela, a crème fraiche e misturar uns segundos na Vel 3. Juntar a manteiga derretida pelo bocal e misturar na Vel. 3 até ficar homogéneo.
Retirar a borboleta do copo.
Por fim juntar a farinha e envolver 10 seg/ Vel.3. Envolver delicadamente com a espátula até ficar homogéneo.
Deitar a massa na forma e bater com esta na bancada de forma a eliminar as bolhas de ar.
Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 45min. ou até o palito sair seco.
Deixar arrefecer 10 minutos antes de desenformar.
Deixar arrefecer completamente numa grelha.
No momento de servir, polvilhar com açúcar em pó.